sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Estou crescendo sendo “só” uma dona de casa?


Como dona de casa ouço uma vez ou outra a ingrata pergunta: Se você não trabalha fora o que fica fazendo durante o dia? Como explicar para algumas pessoas, os inúmeros compromissos que advém da maternidade? Mas, o que quero falar é sobre como algumas vezes estas perguntas podem nos fazer pensar se estamos contribuindo com algo para a sociedade, para nossa família e principalmente para o nosso próprio crescimento. 


Vou apresentar alguns fatos que comprovam o quanto crescemos quando não temos um trabalho de carteira registrada, cursando uma faculdade ou algum curso de qualificação específico.

Artesanato – Constantemente temos atividades, confraternizações e festas onde nós mulheres somos convidadas a decorar e embelezar o ambiente para que todos possam desfrutar daquele evento. Ou seja: Quando começamos a pensar,  agir e colocar em prática podemos até não perceber mas estamos nos tornando artesãs. 

Cozinheira/Nutricionista – Ao decidirmos fazer uma festa de aniversário para os filhos. Ali não basta ser somente a cozinheira, somos nutricionista também, afinal iremos ponderar e oferecer alimentos saudáveis e saborosos só que de uma maneira atrativa.

Motorista profissional – Esta nem preciso dar muitas explicações. Quantas vezes levamos nossos filhos para a escola, natação, balé, médico, dentista, igreja, bailes e tantas outras atividades, muitas vezes vários destes compromissos num único dia
.
Terapeuta – Naquele momento que paramos nossa vida para ouvir uma amiga, os filhos, marido, familiares e aquelas pessoas que encontramos na rua.

Organizadora de eventos – Lembra de quando somos convidadas a decorar um ambiente? Também recebemos este convite para organizar o evento. E lá vamos nós pensar na localização, data, comidas, convidados.

Professora – Ajudar no dever de casa, ensinar aquela fórmula que teima em parecer um bicho papão e outras situações que passamos diariamente com nossos filhos. Sem falar naquelas mães que voltaram a estudar para poder ajudar os filhos.
Economista - Ao nos depararmos com um promoção no mercado, compramos o alimento já pensando na economia que faremos.

Citei somente 7 exemplos, desempenhamos outras dezenas de funções que muitas vezes no começo nos eram desconhecidas. Fazemos isso tudo enquanto ainda somos “somente” aquela dona de casa. Somos mulheres autodidatas, aprendemos olhando tutoriais na internet, livros, revistas, sozinhas, com aquela maravilhosa amiga que compartilha tudo que sabe, cursos gratuitos que fazemos enquanto os filhos estão na escola. Que quando ouvirmos aquela infame pergunta: O que você faz o dia inteiro? Nós lembremos do nosso valor, do nosso crescimento e principalmente do quanto o Senhor confiou e confia em nós, quando nos permitiu criar e educar seus filhos. Poder acompanhar os filhos no dia a dia, ir nas reuniões escolares, presenciar a primeira vez que seu filho escrever o nome sozinho ou quando eles começam a ler as escrituras sagradas sozinhos, sem que você precise pedir. A responsabilidade materna é enorme e maior ainda é a bênção de reconhecermos o quanto nossa presença é benéfica no crescimento espiritual e secular de nossos filhos. Claro, há a aquelas mães que não podem ou não gostam de ficar em casa, mas cada família sabe o que é melhor para ela. Como membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (mais conhecidos como Mórmons), reconheço o valor do meu trabalho como mãe e esposa, sei que estou cumprindo o meu maior chamado/emprego: o de ser mãe. Não há nada neste mundo que me dê maior prazer do que criar e educar os filhos do Senhor nesta terra.  Quero finalizar com uma citação do sábio profeta David O. Mckay: "Nenhum sucesso na vida, compensa o fracasso no lar."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer dar sua opinião? escreve aqui :D